Avatar

Além do Cabelo
Câncer não é escolha. Bom humor é.

31.jul.2015

Cozinhaterapia – você já pratica?

Por Alice Falleiro 3 Comentários , , , , ,

Ao descobrir o linfoma de Hodgkin e depois de ajustar o tratamento quimioterápico com meu médico oncologista, parti para o que chamei de “tratamento complementar alimentar”. Depois da primeira sessão de quimio fui na nutricionista (nunca tinha ido, se arrependimento matasse!) e a partir dali comecei a fazer ajustes na minha alimentação.

 

Dica 1: Consulte uma nutricionista

 

 

Eu queria tentar passar por essa “bad phase” da melhor maneira possível. Resolvi começar pela boca. Resultado: Me senti bem melhor. Nunca fui uma eximia cozinheira. Não fiz cursos de culinária e não, não pretendo seguir carreira nessa área.

 

Dica 2: Desfoque da doença

 

Na verdade, descobri que cozinhar foi uma das minhas “terapias” durante o tratamento.  Percebi que quando eu ia para a cozinha (eu colocava uma musica beeem animada para cantar beeem alto) eu me distraia e saia um pouco do mundo do câncer. Aconselho (muito) a fazerem o mesmo, é preciso (des) focar da doença.

 

 

Dica 3: Trilha sonora é fundamental!

Coloque uma música ou um mantra para cantar beeeeeeem alto durante a cozinhaterapia! Se você não sabe muito bem o que quer escutar, clique aqui que o Superplayer te ajuda com listas maravilhosas!

 

 

Dica 4: Sem meter o pé na jaca!

Procure evitar alimentos processados, industrializados e com conservantes. Muito sódio, muito açúcar… não, não e não!!! Ou seja, tudo aquilo que tenha prazo de validade muito looooongo.

Comecei a fazer comidinhas simples, caseiras, receitinhas práticas. Me senti bem (dentro do possível) durante o tratamento e, por isso resolvi compartilhar essa experiência positiva que o câncer me trouxe.

 

Dica 5: Temperos

Procuro sempre que possível utilizar temperos fresquinhos. Esses da foto abaixo (hortelã, alecrim, sálvia e manjericão) consegui com uma amiga que tem um sítio. Eles são encontrados no supermercado e nas feiras de bairro.

 

Quem disse que não podemos nos alimentar bem e de maneira simples?!

 

Dica 6: Vai um bolinho aí?

Para comer com a família que tanto nos cuida, mima e acolhe, para se deliciar com as visitas, para fazer um agrado para o namorado, um bolinho feito por nós sempre cai bem! Ao contrário do que muita gente pensa, é possível fazer um bolinho saudável e nutritivo, sem utilizar aquele monte de açúcar!

 

Bolo de maçã, aveia e canela: eu que fiz!

 

Dica 7: três ingredientes fundamentais

 

Não esqueça que, para sua Cozinhaterapia funcionar, são necessários três ingredientes fundamentais:  amor no gesto de cozinhar; equilíbrio para não ficar nem sem graça, nem uma bomba calórica e variedade, para não enjoar!

 

 

Um beijo,

 

 Alice 

 

 

Voltar

Relacionados

  • Problema de memória? Você pode estar com “chemo brain” Leia Mais
  • Para ler: Minha lista de prioridades Leia Mais
  • A polêmica da carne – o que você precisa saber Leia Mais

COMPARTILHE


3 respostas para “Cozinhaterapia – você já pratica?”

  1. Letícia disse:

    Adorei!
    Lembrando que plantar manjericão, salsinha e cebolinha é fácil, e você garante o tempero caseiro e nutritivo. Acho que também poderia ser compartilhado aqui formas simples de ter tempero em casa. A gente economiza, garante a saúde e o contato com a natureza! to curiosa pelas receitas, Alice!

  2. Alice disse:

    Lê, em breve receitinhas aqui no blog. Que bom que gostou do texto. Vou anotar aqui a sugestão para fazer um post sobre como cultivar temperinhos em casa. Obrigada pelo carinho e pela sugestão. Beijos!

  3. […] Ah, eu adoro cozinhar e durante o tratamento a comida foi mais do que a minha nutrição – ela foi uma terapia! Quando eu queria desfocar da doença, corria para cozinha. Inspirado nisso, escrevi o texto Cozinhaterapia – você já pratica? (clique aqui para ler!)  […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *