Avatar

Além do Cabelo
Câncer não é escolha. Bom humor é.

08.ago.2016

Histórias que Inspiram: Bruna Fróes

Por Flavia Maoli 2 Comentários , , , , , ,

OBA! Vamos começar essa semana com mais uma História que Inspira? Dessa vez quem nos presenteia com seu relato é a linda Bruna Fróes, do Rio de Janeiro. Vamos lá?

 

“Meu nome é Bruna, tenho 38 anos, sou do Rio de Janeiro. Sou casada, tenho dois filhos – um de 19 e outro 10 anos – e sou comerciante e sou formada em Educação Física. Sempre cuidei da saúde, sou vaidosa e, como uma carioca nata, sou viciada em esportes e atividades físicas.

 

Há mais ou menos um ano, palpei um nódulo em baixo do braço –  e, como estava na época de fazer o check-up anual, procurei minha ginecologista. Durante a consulta, a médica me disse para que eu não me preocupasse, pois aquele seria um nódulo de gordura e que, como minha menstruação era irregular, era comum acontecer. Eu insisti, dizendo que sentia incômodo ao fazer exercícios pesados com o braço. Para me tranquilizar, ela solicitou uma mamografia.

O médico que fez minha mamografia disse que existiam vários tipos de nódulos, e por isso iria sugerir à ginecologista que fechasse o diagnóstico com uma ressonância magnética e uma biópsia.

Voltando ao consultório da gineco, ela avaliou o pedido e ainda riu, dizendo que não era nada – e que como eu tenho prótese mamária, é de praxe os especialistas pedirem exames complementares. Saí de lá tranquila – e como não ficaria? Com a médica falando na maior tranquilidade e ainda brincando com a situação!

Eu estava em uma festa durante o carnaval, quando senti fortes pontadas no seio – chegando em casa vi que ele estava infeccionado e fissuras no mamilo. Corri para a emergência médica, onde me mandaram procurar um mastologista para fazer ressonância.

Quando fui buscar o resultado na biópsia, não tive coragem de abrir o envelope, pois já estava sentindo o que viria pela frente. Fomos direto ao mastologista. Ele começou a consulta falando sobre os procedimentos que faríamos, e eu pedi que ele me dissesse com todas as palavras o que eu tinha, pois precisava ouvir de um profissional. Ele, grosseiramente, me disse:

“Você não sabe ler não, minha filha?! CÂNCER! Você está com câncer, tem que operar o quanto antes!”

Fiquei em estado de choque, comecei a chorar e não conseguia raciocinar. Ele disse que não ia conseguir cuidar de mim se eu continuasse chorando. Levantei, peguei meu laudo e disse “Realmente, o senhor não vai poder me tratar porque você não está preparado para lidar com pessoas que estão passando por isso!” E fui embora desnorteada.

3

Eu atualmente – tenho desfilado meu visu pós quimio com muito orgulho!

Sou portadora carcinoma ductal infiltrante HER positivo, estágio 3B. Quando fui diagnosticada, o tumor já estava com 10 centímetros. Foi muito difícil aceitar essa notícia. Tentava entende o porquê. Sempre fui geração saúde, sempre me cuidei… e ainda por cima recebi a notícia da pior maneira possível!

Passado o susto, engoli os lamentos e resolvi correr atrás do tempo perdido e me tratar. Descobri um oncologista maravilhoso, que me dá todo suporte e apoio para encarar o tratamento. Já fiz metade das quimios – e o pessoal brinca que eu sou um alien, pois não sinto quase nenhum efeito colateral além de sonolência nos primeiros dias pós quimio.

Meu organismo não respondeu muito bem à quimioterapia vermelha, então meu oncologista resolveu iniciar as brancas e solicitou uma medição nova que tem mostrado bons resultados em outros países. Já estou sentindo a melhora! Quando terminar as quimios, vou fazer mastectomia e depois radioterapia.

Levo a vida normalmente, continuo malhando e trabalhando. Só me lembro que estou em tratamento quando me vejo no espelho careca. Às vezes fico triste, penso em tudo o que ainda está por vir, choro, tenho medo. Sou humana, não é? Faz parte do processo. Mas logo penso em todas as coisas boas que tenha na vida, o amor da minha família, meus amigos – e aí me recomponho. Não alimento a tristeza – aceito ter meus momentos, mas logo já me coloco pra cima de novo!

Às vezes quero variar o visual, aí recorro à minha peruca linda!

Às vezes quero variar o visual, aí recorro à minha peruca linda!

 Sei que tudo dará certo, tenho certeza disso! Como eu disse, no começo fiquei tentando entender o porquê, mas a verdade é que não temos essa resposta. Acredito que tudo isso veio para me mostrar algo – e não importa o porquê de ter acontecido, mas sim o que farei a partir dessa situação. Ainda tenho muito para viver, amo demais meus filhos, minha família e a minha vida!” 

 

Bruna, muito obrigada por dividir sua história conosco! <3 

Quer inspirar outras pessoas com sua história? Mande um e mail para contato@alemdocabelo.com !

 

Até semana que vem, 

 

Flavi

Voltar

Relacionados

  • Conheça a Casa Camaleão – centro de convivência para pessoas com câncer Leia Mais
  • Como cuidar da pele durante o tratamento Leia Mais
  • Como misturar estampas Leia Mais

COMPARTILHE


2 respostas para “Histórias que Inspiram: Bruna Fróes”

  1. Jeanne P disse:

    Você é linda e muito forte. Me vi na sua história. Tb descobri um ca de mama há poucos meses. Vamos vencer essa luta. Força!!!

  2. Pedro Penna disse:

    Meninas,
    Confesso que não sei como cheguei…Mas adorei o post!
    Que show! Força e fé Bruna! Tenho certeza de que vc é uma inspiração para muitos e muitas! Continue assim!
    Tenho um funcionário que superou um cancêr no testiculo. E toda a vez que temos uma missão impossivel aqui na agência (eu trabalho com publicidade), eu viro e falo para ele: “Cara, depois do que vc superou o que superou, nada é impossível! Vamos nessa!”
    = ))))

    OBS: Pode parecer coisa de outro mundo mas conheço uma legião de pessoas que adoram mulheres de cabelos curtos, inclusive raspados. ; )
    Mas deixando a vaidade de lado, sua maior beleza esta dentro de vc. E vc sabe disso.
    Agora ,colocando a vaidade na frente: Vc é, e esta linda!
    ; )

    Bjs,
    PP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *