Avatar

Além do Cabelo
Câncer não é escolha. Bom humor é.

20.jul.2015

Manual prático: como ser um bom amigo

Por Flavia Maoli 4 Comentários , , , , , , , , , ,

E nessa segunda-feira chuvosa comemoramos o Dia do Amigo (êêêêê!). Eu adoro essa data e todas as lembranças que ela me traz! Desde a infância, passando por aquelas amizades histéricas da adolescência – até as que permanecem e se perpetuam por toda vida. A amizade tem efeitos incríveis sobre as nossas vidas, nossa autoestima e nosso sistema imunológico – sentir-se amado e cuidado faz maravilhas para nossa saúde!

 

Por isso hoje vamos dedicar esse post a escrever algumas dicas para ser um bom amigo – inclusive em tempos difíceis como quando se encara um diagnóstico de câncer!

 

Como ser um bom amigo… quando seu amigo está em tratamento.

 

Muitas pessoas não sabem como agir quando um amigo descobre que está com câncer. Tem gente que some por não saber o que dizer – e achar que sua presença não irá ajudar (e que sua ausência não será notada, vai ver…) Tem gente que cola que nem carrapato e não dá um minuto de sossego pro pobre enfermo! Hahaha

A verdade é que é preciso ter equilíbrio – como em tudo na vida. Se vocês são bem próximos, talvez seu amigo se sinta mais à vontade para pedir sua presença – ou para pedir que você se retire. Tente entender que receber um diagnóstico desses é extremamente desestruturador, e muitas vezes a pessoa diagnosticada precisa de alguns dias (quase) sozinha para engolir e digerir a situação.

Isso não quer dizer que você deva se ausentar. Existem algumas atitudes que sempre serão bem vindas, qualquer que seja seu nível de intimidade.

 

FAÇA

1. Ficou sabendo que seu amigo está doente? Ligue para ele! Você não sabe o que dizer? Diga que você sente muito e que está aí pro que ele precisar, mesmo que ele ainda não saiba o que possa ser.  Se ele não atender, tente mais uma vez – mas não insista muito. Talvez tenha oitenta mil parentes desesperados ligando ao mesmo tempo. Envie isso por mensagem e diga que está à disposição para o que ele precisar da sua amizade. Se ele não responder, tente contato com algum parente (minha irmã era uma pomba-correia nos primeiros dias, em que eu não queria nem olhar o celular!).

 

2. Deixe ele curtir uma fossa. Não é comum – e nem muito saudável – alguém descobrir que está com câncer e sair aproveitando a vida imediatamente. Deixe seu amigo chorar – se ele se sente à vontade para desabafar com você, que ótimo! Pode chorar junto? Até pode… mas nada de cara de peninha e frases de efeito, ok? Só vale ficar com raiva, falar um monte de palavrões e mandar o câncer se foder. Não alimente a deprê do seu amigo, mas entenda que alguma tristeza é normal e até necessária! 

 

Não sufoque o amiguinho.

 

3. Mande mensagem no dia da quimio – ou da cirurgia, da radio, da biópsia. É muito legal estar chegando pro tratamento e ler mensagens do tipo “Vamo timeeeee!!!!” “Joga essa doença pra escanteio!!!” “Te amo, tô contigo em pensamento!!!”. Mais uma vez eu repito: fuja das frases de efeito prontas – aquela da cruz que pode carregar, você é um guerreiro, vai passar rápido, cabelo é o de menos… NOT.

 

 

4. Fale de algo que não seja câncer – ou quimio, ou remédio, ou qualquer coisa relacionada a estar doente. Pode não parecer, mas debaixo dessa careca e dessa cara de cansaço ainda existe aquela mesma pessoa que adora uma fofoca, um brigadeiro de panela e um happy hour com os amigos. Inclua seu amigo nos programas – é certo que muitas vezes ele não poderá participar por causa do tratamento ou da imunidade, mas é muito bom sentir-se incluído no círculo social! Melhor ainda: quando a imunidade dele estiver ok, combinem uma jantinha em casa com outros amigos, para vocês poderem botar o papo em dia sem exigir grandes produções. Se ele quiser falar sobre o tratamento, ok – mas não esqueça de puxar assuntos diversos e, preferencialmente, bem humorados!

 

Não é porque seu amigo está doente que ele deixou de ser besta!

 

5. Releve as patadas. Mudanças de humor acontecem com todo mundo – durante um tratamento pesado, então, nem se fala! Existe alguma chance de, em algum momento, seu amigo lhe dar um coice – principalmente se você forem bem íntimos! Tente não levar para o lado pessoal, dê um desconto para ele e siga adiante. Se ele abusar da sua paciência, tente falar de forma sutil “SOU LEGAL MAS NÃO ABUSA, PORRA!” Costuma funcionar.

Mudanças de humor: quem nunca?!

 

 

NÃO FAÇA

1. Não suma sem deixar vestígios Talvez você não saiba o que dizer pro seu amigo recém diagnosticado – mas a verdade é que nem ele mesmo sabe o que falar ou pensar ainda! Você não precisa ter uma frase mágica que vá consolar quem você ama – aliás, NENHUMA frase irá consolá-lo, a não ser que você mesmo já tenha tido câncer! Se você não souber o que dizer… então diga que você não sabe o que dizer! Simples assim. Só não vale sumir porque você “não sabia o que dizer” – isso será encarado como abandono, uma das piores situações para quem já está fragilizado!

 

É o seu amigo, não um zumbi, ok? Não fuja dele!

 

2. Não fale merda.  Não fale que sua tia teve câncer e morreu, que seu amigo é um guerreiro, que a queda do cabelo não importa, que deus não dá a cruz maior do que… apenas não fale!!! Antes de falar, tente se colocar no lugar de quem vai ouvir – você provavelmente não vai conseguir, se nunca passou por isso. Então não tente usar frases de defeito, elas não só não funcionam como deixam quem ouve extremamente chateado, mesmo que ele não demonstre.

Tem uma frase no filme do Bambi que eu adoro que diz “Se você não tem nada de bom para dizer… então não diga nada!”.

 

Do Bambi pra vida…. watch and learn, bitch!

 

Quer dizer algo para consolar seu amigo? Diga que você vai ajudá-lo no que ele precisar, pesquise páginas, livros e blogs que possam ajudá-lo (ouvi dizer que tem um tal de Além do Cabelo que é demais! Hahaha). Diga que você acredita que ele vai se curar, que ele precisa se manter forte para aguentar o tratamento, que muitas pessoas tiveram câncer e estão aí, curadíssimas vivendo suas vidas! Troque a peninha que você sente do seu amigo pela energia motivante de dizer “LEVANTA DESSA CAMA E VAI LÁ DAR UM PAU NESSE CÂNCER!”

Um empurrãozinho às vezes vai bem!

 

3. Não censure seu amigo. As pessoas mudam muito durante o tratamento – e depois também. Talvez seu amigo fosse um porra-louca que bebe todas, e agora queira entrar para um templo budista. Talvez ele esteja completamente zonzo, esquecido e confuso por causa dos remédios e esqueça compromissos que ele marcou com você. Talvez ele queira usar uma peruca de palhaço para ir no casamento do seu irmão. Não o censure – ele precisa se rebelar um pouco! Encarar a morte (ou tomar consciência de que ela existe) é uma experiência totalmente louca e enriquecedora – que faz com que a gente perca os medos e queira se aventurar e descomplicar a vida. Algumas mudanças de comportamento são temporárias, outras permanentes. Tente ser um bom amigo e não julgue – quem sabe você até possa aproveitar o embalo para quebrar alguns dos seus paradigmas?!   

 

Apoie seu amiguinho, mesmo que você não concorde muito.

 

Feliz dia do amigo para todos nós, que nos doamos e nos somamos nos bons e nos maus momentos! Um muito obrigado especial a todos meus queridos amigos – que eu não vou tentar listar aqui, mas que eles sabem quem são!

E a vocês, leitores, que ao longo desses dois anos têm sido tão legais comigo – espero que vocês também me considerem uma amiga, mesmo que virtual!

 

Beijos,

 

Flavi

 

 

Voltar

Relacionados

  • Conheça a Casa Camaleão – centro de convivência para pessoas com câncer Leia Mais
  • Como cuidar da pele durante o tratamento Leia Mais
  • Como misturar estampas Leia Mais

COMPARTILHE


4 respostas para “Manual prático: como ser um bom amigo”

  1. Claudia Ribeiro disse:

    Adorei o post. Eu e meu marido passamos por muitas situações com os amigos e familiares, quando ele descobriu e tratou um linfoma ano passado. Agora que ele está em remissão algumas pessoas insistem em dizer p ele esquecer td q aconteceu, como se isso fosse possível. Isso me irrita demais, como esquecer algo importante da sua história??? Quem sabe isso não possa virar pauta p outros posts, ok! Bjs

    • Flavia Maoli Flavia Maoli disse:

      É verdade, Claudia!!! Vou escrever sobre isso – de as pessoas acharem que a gente tem que apagar o que passou, como se fosse possível! Obrigada pela sugestão! Beijosss

  2. […] Apesar de eu já ter terminado meu tratamento, gosto de lembrar das pessoas que estão em tratamento agora – e dar dicas para que essa fase passe mais rápido! Tivemos dicas para curtir o carnaval durante a quimio, driblar o efeito sanfona, como aproveitar o dia dos namorados quando se está em tratamento, a importância da psicoterapia durante o tratamento – rolou até um manualzinho para ajudar a galera a ser um bom amigo! […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *