Avatar

Além do Cabelo
Câncer não é escolha. Bom humor é.

04.jun.2013

quando o raio cai duas vezes

Por Flavia Maoli 39 Comentários , , ,

0..

O que eu ainda não contei aqui – e acho que está na hora – é que hoje foi minha primeira quimioterapia.  Ahn??? Sim, hoje comecei a quimio. Não, não é minha primeira quimio da vida. É, o linfoma voltou. Voltou silencioso, quietinho pra não fazer barulho, pra fingir que ele não está ali. Eu quase acreditei que ele realmente não estava, e ainda me custa acreditar que ele esteja.

Tudo começou há uns meses, quando fui fazer minhas tomografias de rotina. Numa delas apareceu uma mancha, mas a chance de o exame estar errado era quase maior do que um Linfoma de Hodgkin recidivar. Atualmente a taxa de cura pro tipo de linfoma que eu tive é mais de 90%, e além disso, a mancha estava em uma região onde eu tinha recebido radioterapia (o que diminui as chances de recidiva), e além além alééééém disso, eu não sentia nada. E ainda não sinto. Consigo caminhar longas distâncias, não sinto falta de ar, tosse, dor no peito, suor noturno ou qualquer outro sintoma que me garanta que eu estou doente. Ou seja, meu corpo está resistindo ao câncer, o que é um ótimo sinal!

1.

Com tudo isso, decidimos esperar mais algumas semanas pra ver como/ se ele evoluiria. Achei que eu ia surtar, como assim passar três semanas sem saber se eu estou ou não com câncer??? No final das contas, passei muito bem, obrigada. Fiz um intensivo de yoga e meditação, mudei ainda mais minha alimentação, me foquei no meu corpo e na minha mente, que andavam meio esquecidos na correria do dia a dia. O que aconteceu é que no segundo exame, a mancha fiadaputa ainda estava lá, mas não tinha crescido significativamente. Resolvemos então fazer uma biopsia, pra olhar essa coisa de perto. A coisa era linfoma: o mesmo tipo, mesmo prognóstico, tudo igual, de novo. E aí com o resultado da biopsia eu não tive mais pra onde ou porquê fugir.

Assim como em 2011 o câncer parecia uma coisa impossível para uma pessoa de 23 anos, também achei que a recidiva nunca aconteceria comigo. Mas aconteceu. Passado o susto inicial, e depois a raiva inicial (e a certeza de que eu fiz pole dance na cruz), e depois o medo inicial, as coisas foram se acalmando e melhorando. A gente sempre teme o desconhecido, mas conforme vai se aproximando, percebe que ele nem é tão assustador quanto parecia.

Tudo sempre parece impossível até ser feito.

Tudo sempre parece impossível até ser feito.

Se eu estou feliz com isso? Não, não estou. Se eu estou feliz? Sim, sempre. Eu sou feliz, isso faz parte de mim, ter momentos tristes na minha vida não alteram essa minha condição natural. Eu não nasci pra ser infeliz, eu nem sei como se faz isso. E convenhamos – eu tenho muita sorte. Tenho uma família que me apoia, amigos que se fazem presentes de diversas formas, uma equipe médica competente e atenciosa que me enche de mimos quando eu chego. Posso me dar o luxo de não trabalhar durante o tratamento, me focar apenas na minha cura e bem estar, e mesmo assim não preciso me preocupar se vai faltar comida. Aprendi a me permitir liberdades durante a quimio, mesmo nos momentos em que parece que eu não tenho nenhuma autonomia. Se não fossem os efeitos colaterais da quimio, eu poderia dizer que eu estou começando um retiro espiritual, onde vou testar minhas capacidades psicológicas e me conhecer mais. Vou reclamar do quê?

A vantagem que eu tenho agora é que eu já sei como as coisas acontecem – sei que o tempo pára durante a quimio, que cada hora tem 200 minutos, que os dias se arrastam. Mas também sei que, depois que tudo isso acaba, a vida vem em arrastão e os meses passam voando, quando a gente vê já passou um ano, quando vê a gente tem vários probleminhas do cotidiano pra se preocupar e resolver.

A coisa ainda está toda muito recente pra eu conseguir enxergar como um todo e dar alguma dica pra quem está passando por isso – talvez esse fosse o momento de eu receber algumas dicas, inclusive! Mas tenho certeza desde já que essa não vou deixar essa recidiva ser uma tristeza e um peso na minha vida – assim como Marco Feliciano, o câncer não me representa!!! Estar doente nos faz perceber que, um dia, todos nós vamos morrer (malz pelo spoiler, galera!). E essa consciência forçada pode ser tanto angustiante quanto engrandecedora, porque te faz querer aproveitar melhor os teus dias/ meses/ anos. O ser humano é um bichinho meio burro, porque é o único animal que sabe que vai morrer, e mesmo assim vive a vida como se fosse eterno, usa seu tempo pra coisas bobas, negativas, supérfluas! Só eu que acho isso uma loucura?!

Enfim, por enquanto é isso. Queria terminar com uma das frases do Viktor Frankl que eu gosto muito, e acho que tem muito a ver com o momento atual:

” Tudo na vida pode ser tirado de você, exceto uma coisa: a liberdade de escolher como você vai responder à situação. Isso é o que vai determinar a qualidade da vida que você vive. ”  

– Quer mandar uma dúvida ou sugestão? Escreva para alemdocabelo@gmail.com, vou adorar responder! 

Voltar

Relacionados

  • Problema de memória? Você pode estar com “chemo brain” Leia Mais
  • Estamos de volta! Leia Mais
  • A polêmica da carne – o que você precisa saber Leia Mais

COMPARTILHE


39 respostas para “quando o raio cai duas vezes”

  1. Dani disse:

    Tu me emociona. Tu me ensina. Tu me encanta, sempre! Obrigada por ser assim e por compartilhar essa maneira de ver a vida. Falo isso como amiga e como eterna admiradora. Sempre juntas! Beijo com todo meu carinho

  2. alessandra bhp disse:

    Lindo lindo lindo lindo! Melhorou meu dia! E me lembrou de coisas que estavam esquecidas…. ” O ser humano é um bichinho meio burro, porque é o único animal que sabe que vai morrer, e mesmo assim vive a vida como se fosse eterno, usa seu tempo pra coisas bobas, negativas, supérfluas! Só eu que acho isso uma loucura?!” ameiiiiiiii

  3. Fernando disse:

    Flavinha! Parabéns pelo artigo e pelo blog.
    Eu me permiti fazer alguns comentários para aproveitar esse belo texto:
    Também li o livro do Frankl e gostei muito.Poderia complementar que segundo ele a escolha da atitude nas situações não vai determinar apenas a qualidade de vida mas a própria qualidade individual de cada ser humano, seu caráter, sua dignidade… Característica que pela simples leitura do blog vi que assimilastes.
    Além disso, essa reflexão que você fez no final, de que o ser humano é muito burro, é muito verdadeira. Me deparei com ela diversas vezes na vida, mas parece que agente esquece, pois, por pior que seja o episódio, depois de superado, se não mantivermos um pensamento elevado, acabamos caindo nos ‘super problemas’ mesquinhos do dia a dia.
    Receba um abraço e meus desejos mais positivos e sinceros de melhora para você e de continuidade deste espaço.

  4. Paulinha disse:

    Flavinha que bom que na tua liberdade de escolher, escolheu as coisas boas e positivas.
    também mudou meu dia!
    Beijo grande!!!

  5. Lara disse:

    Flávia, parabéns pelo belíssimo texto ! És uma pessoa muito especial ! 🙂

  6. Lui disse:

    Orgulho de amiga, exemplo de vida! Sempre juntas! <3

  7. Nabinha disse:

    Nabinha, sempre leio e sempre me emociono! Essa coisa de não nasci pra ser infeliz é demais! É assim que tem que ser sempre e faz a vida funcionar!!! Energia move o mundo honey, e a tua, com certeza vai mover as coisas ruim pra bem longe! 😉 beijoca e as melhores energias pra ti!

  8. Rodrigo Troyano disse:

    Orgulhoso que fico…

  9. Rosemeri Antunes dos Santos disse:

    Oi Flávia, sou a Rose tua colega da turma de ioga do meio-dia. Ontem a Ana, nossa professora, falou do reinício do teu tratamento e do teu blog. Penso muito em ti, e em todas as aulas mentalizo as melhores energias e sentimentos na tua imagem serena e ao mesmo tempo forte, meiga e corajosa. Tuas palavras são tão emocionantes pela veracidade que carregam, mas também pelo alerta que trazem consigo de valorizarmos cada momento precioso de nosso presente. Desejo que você se recupere logo e que em breve possamos estar trocando experiências e energias nas aulas de ioga. Muita luz na tua vida e amor do teu coração. Beijo grande.

  10. Luciana disse:

    Essa e’ minha prima gente!!!! Que orgulho!!! Teus textos são maravilhosos!! Eu aprendo muito! principalmente em ser uma pessoa melhor. Sou tua fã minha querida! Bjs

  11. Fernanda disse:

    Que linda mensagem, Flavinha. Manter a mente saudável com bom humor e pensamentos positivos é certamente o primeiro passo da liberdade, a expressão do livre arbítrio e a possibilidade de enxergar mais longe. Ainda que distante, mando as melhores energias pra ti! Sdd, prima querida, beijo!

  12. Natália disse:

    Amiga, tem certeza que tu tá na profissão certa?? Teus livros iam virar ‘best-sellers’ ehehhe!! Amei! Estás sendo um exemplo e tanto! Um beijo!

  13. Renata disse:

    Um dia de cada vez, com a sorte de ter tanta lucidez, esclarecimento e muito, muito amor no teu coração! Te amo

  14. maria helena de magalhaes disse:

    Flavinha,feliz por teres livre arbítrio,por tua mente estar bem.Não tem como não se emocionar lendo,segue mentalizando energias positivas.Tudo passa e tú nos ensina cada vez mais.bjsss

  15. Bruna disse:

    Flávia, primeiro preciso te parabenizar pelo blog. É original, realmente foge do comum, com as dicas e etc. Além disso, está muito bem escrito! Parabéns!
    Não pude deixar de comentar, meu namorado teve LH aos 19 anos, e ao completar 1 ano do fim do primeiro tratamento descobrimos a recidiva! Os sentimentos iniciais tenho certeza que tu já sabes…
    Mas, para te animar…estamos há 7 meses em remissão, depois de um transplante autólogo super tranquilo e sem as reações esperadas!
    Mais uma vez, adorei o blog e a forma como tu escreve, e prende nossa atenção! Esperarei mais atualizações! Rsrs
    Um beijo e ótimas energias pra ti!

    • alemdocabelo alemdocabelo disse:

      Olá, Bruna!! Desculpa a demora para responder seu comentário!!! Fiquei muito feliz com a notícia da remissão do seu namorado, espero que esteja chegando nos 8 meses já!! 😀 Estou me preparando pro transplante, cheia de dúvidas e curiosidade! Se ele se sentir à vontade pra falar sobre isso, gostaria de perguntar algumas coisas à ele… pode enviar e mail para alemdocabelo@gmail.com! Que bom que você gostou do blog, muito obrigada pelos elogios!! Beijão!!

  16. Susana disse:

    Parabéns pelo blog! Revi-me em todos os seus têxtos. Tudo o que eu senti e não consegui descrever quando em 2011 tive cancêr da mama e tive de passar por todos aqueles tratamentos. Força!

  17. Maria Heloisa Magalhães Soares disse:

    Orgulho é o que nós sentimos ao ler o que escreves com maestria. Parabéns, querida por ensinares a tantas pessoas, como podemos viver bem, de acordo com escolhas conscientes. Tua lucidez nos emociona. Tua luta engrandece tua existência. Te amamos e muito pelo que és. Sempre foste este doce de pessoa. És um exemplo. Beijos

  18. MARILIN CASAGRANDE disse:

    EMOÇÃO PURA ESTE TEXTO, PELA PRIMEIRA VEZ LEIO ALGO TEU MAS SEM DÚVIDA NÃO SERÁ A ULTIMA, PARABÉNS !

  19. Karina disse:

    Flavinha, é incrível como tu consegue levar as coisas assim! Sério, parabéns! Quero me espelhar em ti e ser mais positiva. Coisa linda te ver assim!!!

  20. Olá Flávia! Adorei ler seu blog, e adorei ver que alguém pensa como eu, e defende essa “causa” com tanta garra e criatividade… minha mãe teve câncer de mama, graças a Deus passou pelo tratamento e ficou “curada”, e o que sempre me incomodava e continua me incomodando é essa coisa idiota e hipócrita de achar que “raspar o cabelo” é o pior no tratamento, por isso tão achei tão legal o título do seu blog e a profundidade dos temas que você trata. Só quem passou ou está passando por essa situação sabe o que realmente um tratamento com radio e quimioterapia pode significar e sim, sem dúvida alguma, isso vai muitoooo além do cabelo… parabéns!!!! Bjo grande, e que Deus te guie e te abençoe neste tratamento <3

  21. Silvio Roberto Ketzer disse:

    Olá Flavinha. É um prazer enorme conhecer teu blog, e através dele você, pois colocas o que és e o que sente nele para ajudar as pessoas a pensar sobre seus tratamentos para o câncer. Vi em ti muito da minha esposa Márcia, que em 2009 diagnosticou uma Leucemia (LLA) e então deu início ao tratamento. Ela também, sempre em todo o tratamento, foi muito positiva para com tudo que o envolvia, quimioterapias, biópsias, transfusões, cateteres etc. Encarou tudo com muita vontade e apesar de saber da gravidade do caso, estava sempre alegre, sorrindo. Estava com 35 anos e nunca tivera nada grave em toda vida. De repente viu-se enfrentando essa doença, que segundo o médico é muito letal. Raspou seu cabelo, sempre se maquiava e cuidava do corpo como sempre o fez. Nunca desistiu de nada na vida, em 2010 foi a sua formatura na Ulbra com um lenço bonito na cabeça e bem produzida, ela é muito linda. Em 2012 após 2 anos e meio de remissão da leucemia, após um exame, foi detectado que ela estava voltando. Ela não entendeu porque isto estava acontecendo com ela, chorou, se revoltou na hora, mas disse: Eu vou a luta e vou vence-la, eu não nasci para a infelicidade. Eu sabia que ela iria encarar tudo de novo, porque era assim que ela encarava a vida. O doutor me disse, sem ela saber, que as chances dela eram pequenas e que eu me preparasse para o pior. Meu mundo desabou, não demonstrei isso pra ela, e ela seguia sempre positiva o tratamento, desta vez uma quimio muito mais agressiva, e ela não aguentou e em 23 de outubro de 2012 ela faleceu, de insuficiência cardíaca, renal e pulmonar. Ela deixou uma lição, que apesar de tudo, de todas as dificuldades, não devemos desistir nunca, encarar tudo com força, fé e alegria. Queria que ela tivesse te conhecido quando em tratamento, pois ela sempre estava pronta também para uma palavra amiga, uma oração, uma brincadeira para positivar as outras pessoas que conhecia no hospital e que estavam também tratando algum tipo de câncer. Até o médico dela não entendia de onde ela tirava tanta vontade de viver, inúmeras vezes, quando o médico ia visitá-la no quarto do hospital, ela a encontrava dançando com todos aqueles aparelhinhos ligados ao corpo dela, e ela nem aí, com um doce sorriso no rosto. Pessoa com maior alegria de viver não havia conhecido ainda como a Márcia, agora tive o prazer também de lhe conhecer. Fique com Deus e continue assim!!!

  22. debora disse:

    Simplesmente maravilhoso seu blog!! Uma injeção de auto estima. Uma tapa com luva de pelica nas pessoas que se apegam a doença da moda, que é depressão… As coisas não vão bem no trabalho, fica em depressão, brigou com o namorado, fica em depressão.. É isso ai, a vida é uma escolha e vc esta certissima!! parabéns!1

  23. Encantada por saber que existem pessoas como vc!!! Parabéns pela tua garra e determinação!!! Deus a abençoe e lhe permita que essa luz nunca se apague, que a cada dia a luz lhe dê mais e mais força e coragem!!!

  24. Suellen disse:

    com os olhos marejados venho agradecer pelo texto.

    meu sogro está hospitalizado há 10 dias com um câncer que não localizamos ainda,mas a quimio é certa e caí no seu blog procurando por uma visão positiva de toda a provação que essa doença nos traz.

    Obrigado por me mostrar que não é errado de minha parte tentar focar nas boas energias, positividade e bom humor como forma de ajudar no tratamento.
    Tenho certeza que essa sua postura faz a diferença, e vou imprimir seu texto e levar até ele para ajuda-lo a se manter motivado nesse momento tão complicado para todos nós!

  25. Laura disse:

    Querida, não sei se tu acredita em Deus, mas vou rezar muito por ti! Energia Positiva!! Tb passei por um susto no início desse ano. Não câncer, mas uma trombose. Tb atípica pra minha idade! Enfim… coisas da vida. Basta estarmos vivos!!! Estou em tratamento com fé de que tudo vai dar certo. Tu tens razão, olhamos o mundo com outros olhos e isso é ótimo. Agradeço a Deus por cada dia de vida!! Bjokas, fique com Deus!!

  26. Ludmila disse:

    Blog maravilhoso!!!parabéns!!!

  27. […] A descoberta da recidiva e a sensação de que o raio caiu duas vezes no mesmo lugar. […]

  28. […] Como eu me senti quando… descobri que estava em recidiva  e compartilhei aqui no blog (leia clicando aqui!)  […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *