Avatar

Além do Cabelo
Câncer não é escolha. Bom humor é.

07.dez.2015

Saiba como combater a fadiga durante o tratamento

Por Vivi 2 Comentários , , , , ,
Sentindo cansaço durante o tratamento contra o câncer? Pode ser fadiga oncológica – entenda como a fisioterapia pode ajudar!

Fadiga oncológica é uma das queixas mais frequentes entre pacientes oncológicos!

 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer nos Estados Unidos, 72% a 95% dos pacientes com câncer que recebem tratamento apresentam aumento nos níveis de fadiga, resultando em diminuição significativa na capacidade funcional, levando-os a uma perda muito grande da qualidade de vida.

O metabolismo de pacientes portadores de neoplasias sofre modificações drásticas devido ao estresse oxidativo criado pela própria doença, como também pelos efeitos colaterais produzidos pelos tratamentos tradicionais realizados (cirurgia, quimioterapia, hormonioterapia ou radioterapia).

 

Às vezes a fadiga faz você não ter energia até para as coisas que você quer fazer!

Os mecanismos fisiopatológicos propostos são multifatoriais e não são bem elucidados. Acredita-se o aumento de exigência metabólica (devido ao crescimento do tumor, infecção, febre ou cirurgia); diminuição da disponibilidade de substratos (devido à anemia, baixa oxigenação ou deficiência nutricional); a produção anormal de substâncias que diminuem o metabolismo ou funcionamento normal dos músculos podem ser alguns desses fatores. As combinações dessas modificações metabólicas podem ser associadas à depressão psicológica e à diminuição no apetite, fatores que levam os pacientes a iniciarem um ciclo vicioso de perda de massa muscular, diminuição nos níveis de atividade física, resultando em um estado de fraqueza generalizada.

 

Aquele soninho misturado com a vontade de ficar deitada o dia todo – quem nunca?

Em alguns pacientes a fadiga interfere na capacidade de realizar atividades de vida diária como tomar banho e se vestir, limpar a casa, fazer compras, subir escadas e nas atividades de trabalho normais, alterando a capacidade de concentração, a relação com outros e o humor.

O tratamento da fadiga oncológica tem por objetivo melhorar a capacidade cardiovascular, diminuir a gordura corporal em excesso, aumentar a resistência muscular, força e flexibilidade.

 

Ninguém está dizendo que você precisa fazer isso, ok?

O tratamento farmacológico inclui antidepressivos, psicoestimulantes, corticosteroides e correção da anemia, no entanto, suas indicações devem ser avaliadas e prescritas pelo médico especialista, devido aos efeitos colaterais que estas drogas podem causar, podendo até aumentar a fadiga.

Outros tratamentos incluem psicoterapia para melhora das alterações cognitivas, melhora do humor e a correção dos distúrbios nutricionais e do sono.

Você pode estar pensando: Se estou cansada, fadigada, eu não deveria ficar de repouso?

Não, não e não!!! Ao contrário do que se pensa, o descanso prolongado, em vez de ajudar, pode fazer o efeito contrário, piorando o quadro de fadiga, pois a inatividade física propicia um catabolismo muscular intenso.

E é aí que a fisioterapia entra!

A fisioterapia cria um programa de exercícios moderados de baixo impacto e aeróbicos leves personalizados, para aumento da capacidade funcional e da tolerância à atividade física. Podem ser realizadas caminhadas, esteira ou bicicleta ergométrica, hidroterapia, exercícios com pesinhos, alongamentos e relaxamento, e exercícios ventilatórios com técnicas específicas de reabilitação cardiopulmonar.

Os exercícios devem ser realizados de 3 a 5x na semana por pelo menos 30 minutos. Se você não conseguir realizar 30 minutos contínuos, pode inicialmente fragmentar esse tempo várias vezes ao dia. Por exemplo 10 minutos pela manhã, mais 10 minutos no início da tarde e os 10 minutos restantes no fim da tarde. Se fazer exercício não é o seu forte, você pode optar por atividades de lazer que te deem prazer, como jogos esportivos ou aulas de dança! Em casos mais avançados é necessário aconselhar os pacientes sobre estratégias para diminuição da fadiga, como técnicas de conservação de energia, lazer e manejo do estresse.

 

30 minutinhos por dia – uma vez de 30, ou duas de 15 ou três de dez!

Todos esses fatores associados diminuem as alterações causadas no metabolismo, melhorando assim a saúde e a qualidade de vida dos pacientes e cria melhor expectativa no combate da doença.

Mas fiquem atentos: os exercícios devem ser realizados com supervisão especializada! Para isso procure fisioterapeutas e professores de educação física especialistas em oncologia. Eles saberão prescrever os exercícios mais corretos para o seu caso!

 

Texto: Jaqueline Munaretto Timm Baiocchi

Fonte: Oncoguia

Voltar

Relacionados

  • A polêmica da carne – o que você precisa saber Leia Mais
  • Respiração Holotrópica – um método de autoconhecimento Leia Mais
  • Receitinha: requeijão vegano de manjericão Leia Mais

COMPARTILHE


2 respostas para “Saiba como combater a fadiga durante o tratamento”

  1. Ana Silvestri disse:

    Olá Flávia!
    Gostaria de saber até quando estarão recebendo artigos para a campanha conjunta com o ICI. Eu estive tricotando gorros em fio de linha para doar em tamanhos pequenos para crianças. Eu comprei de ti uns turbantes lembra? Tem Tok no shoping Barra sul né? Não estou achando os endereços para entregar, esqueci onde vi o chamado para a campanha.
    Abraços
    Ana Rosa Silvestri

    • Além do Cabelo Além do Cabelo disse:

      Olá, Ana!

      Que legal!!! A campanha do Natalenço acabou a arrecadação nas lojas já 🙁 Mas tu podes deixar ainda no Café do Duque (rua Duque de Caxias 1354, na frente do Hotel Everest) que eles ainda estão recolhendo! De amanhã até sexta visitaremos vários hospitais! Mas se quiseres podes doar diretamente para o Instituto do Câncer Infantil na rua Francisco Ferrer 276! 🙂 Beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *